04 outubro 2006

Feliz Dia da Paz

O feriado amanheceu quente e abafado. As nuvens teimavam em cobrir o céu quando acordei. Olhei para o relógio e eram quase 8:30h, a casa estava silenciosa e eu bastante preguiçosa. Coloquei os fones no celular e activei o laudspeaker, comecei a ouvir as músicas que tocavam na rádio cidade e entre um comentário e outro do locutor as passadas faziam a festa da paz. Eram passadas antigas que já não ouvia a muito tempo. Espreguicei-me e sorri pensando nos bons momentos que passei ao som delas. Lembrei-me das fugidas nocturnas, dos beijos roubados, do meu primeiro namorado (já agora... por onde andara ele?), das festas em que dançávamos até as sete da matina e foi pensando nisso que adormeci novamente e sonhei, não sei bem com quem mas parecia ser um homem que se despia perante um espelho, ele tirou a camisa e atirou para mim, fez o mesmo com as calças e na altura em que ia tirar os boxers o celular tocou, era meu baby que me queria dar os bons dias, depois de um papo gostoso desliguei e fui para o banho. Já eram quase 10 da manha. Abri o chuveiro e enquanto escovava os dentes pensava no homem que aparecia nos meus sonhos, quase tive certeza que se parecia muito com o meu novo vizinho, só nos vimos poucas vezes quando estou a espera que me abram a garagem mas é na verdade um belo espécime. Só de pensar nele os meus mamilos endurecem, lembrei-me de notar que tem a pele bastante bronzeada e mãos enormes e calejadas, mãos de alguém que trabalha no duro, que ao pegarem numa mulher não deixariam espaço para pensamentos que não sejam no mínimo obscenos.
Entrei no chuveiro e sentir a água quase morna bater-me no corpo parecia um bálsamo para a pele, peguei no gel duche e entornei na esponja antes de passa-la pelo corpo, imediatamente o cheiro a rosas espalhou-se em mim. Passei a esponja pelos braços, pelo pescoço e pelos seios, quando cheguei neles dei-lhes a devida atenção que pediam, massajei em círculos abertos enchendo-os de espuma branca e cheirosa. Com o polegar friccionei os mamilos duros fazendo a minha pele arrepiar toda, pus mais gel na esponja e passei pelo meu ventre esfregando-o vigorosamente. Levantei uma perna e comecei a ensaboar o tornozelo pensando em como seria ter as mãos daquele homem no meu corpo. Subi a esponja pela parte interna das pernas até chegar as coxas, passei a mão por ela deixando a esponja cair na banheira, abaixei-me e tornei a levar a esponja massajando com ela a virilha. Repeti o mesmo com a outra perna e cheguei ao meu rabo.
Cada vez que esfregava a esponja nas nádegas e a água caia morna nos meus seios um calor imenso inundava o meu corpo de desejo pedindo que as mãos deixassem o rabo e se perdessem de imediato no interior molhado das minhas pernas. Encostei-me a parede e meti a mão dentro de mim, a mistura da água, do gel e dos meus sucos descia em mim escorrendo pelas minhas pernas. Comecei então a movimentar os meus dedos de forma ritmada sentindo o desejo queimar com o fogo do meu prazer. Enfiei-os dentro de mim. Enfiei fundo os dedos que escorregavam de tão molhada que estava. Contorci as ancas e o rabo ao mesmo tempo que as minhas costas deslizavam na parede molhada e a minha outra mão apertava com força o meu seio empinado. Penetrava-me freneticamente pondo e tirando dois dedos dentro de mim. Quando senti que não aguentava mais parei. Esperei alguns segundos, acalmei-me sentindo a água no rosto. Esperei mais um pouco e comecei tudo de novo desta vez com mais pressa, mais força e vontade. Só parei quando senti que explodia de prazer num orgasmo completamente agudo que me enfraquecia os joelhos e acelerava a minha respiração descontroladamente.
Mantive-me debaixo da água por mais uns minutos sem pensar em nada apenas sorrindo mesmo sem querer, até me lembrar que deveria apressar-me pois o dia da paz estava apenas a começar...

9 comentários:

Anónimo disse...

Coma 4 dentes de alho, vai ver que lhe passam as ansiedades. Se calhar anda a comer muito piripiri, isto sim, faz subir a temperatura das ansiedades do seu tipo. Tenho dito pela paz.

Anónimo disse...

Bela Prosa.
Parabéns.

Ras anti-babylon disse...

Gostei do teu blog,
é um trabalho bem feito que merece reconhecimento.

youssuf_abdula@hotmail.com

Anónimo disse...

Olhe tem neste endereço uma rival no consumo de piripiri...
http://valenttina.blogspot.com/

Diva disse...

Piripiri? K nada faz-me um mal terrível ao estômago.
Ansiedade? K nada é desejo mesmo...docinho
Bjs meus

Diva disse...

Obrigado...tou aprendendo a gostar de escrever.
Bjs meus

Diva disse...

Ras...
É um prazer receber tão ilustre cavalheiro em meu humilde blog.
Bjs meus

Diva disse...

Rival? Acho que não querido anónimo. Quem sabe uma “amiga” para trocar “experiências”???
Bjs meus

Cl@]\[d€$Ti]\[®™ disse...

hehehe... Está bem fixe! Beijus pra tu... Vê se não desaparece mto tempo...