16 maio 2007

Sauvenir


Nem o medo do amanhã que não existe me define os sonhos, o coração aperta, as mãos tremem e a respiração quase desaparece. No palco o monólogo do que passou. Caminho num deserto de realidades. O oásis ficou para atráz, em algum lugar entre o sonho e a verdade.

Na lembrança o sauvenir vivo em tons vermelho-pecado, perdido dentro do sorriso e do brilho da lágrima que brinca no olhar, mas não cai nunca. Desaprendi a chorar no momento em que aprendi a voar. Trocas.

Hoje, meu sonho é vermelho, sabe a chuva e saudade. Cetim rubro que se perde no meu corpo como tinta em papel branco, tão vermelho é o meu sonho que escorre pelos poros rompendo a alma de poeta que me aprisiona ficando infinitamente cravada na rosa em botão que se esconde entre as coxas.

Este sonho se abraça ao desejo que não morre. Finalmente, o pano cai... vermelho e veludo. Os apalusos do teatro agora adormecido, as luzes que se vão apagando, as rosas que secam no calor do camarim, aos poucos confirmam aquilo que a muito eu sabia... Todo o show começa somente para poder terminar!

11 comentários:

Marcelo disse...

Hummm, momento sensual aqui, mocinha.
Nada mal...
Só que eu prefiro langeries brancas =P
Mas a paixão é mesmo vermelha como as rosas e como o sague.
Belíssimo poema, como sempre.

Beijos rubros.

A.S. disse...

sim!... mas enquanto durar o show, vive o teu sonho vermelho, que escorre pelos poros rompendo a alma de poeta que te aprisiona e deixa que essa rosa em botão liberte o seu perfume...


Um terno BeijO!

alexia disse...

Sem duvida...cada vez mais acredito que as coisas começam só para poderem terminar...resta-nos usufruir delas o melhor possível.


A imagem tá gira!!!

Lu@r disse...

Vive intensamente esse momento o fim chegará quando tiver de chegar.

Beijo doce

Nelson Ngungu Rossano disse...

Deixar fluir, aproveitar o momento - carpe diem

=)

bj

Dias... disse...

Gostei bastante, parabéns.
Beijo

Nilza disse...

Olá!
Lindo seu blog, voltarei com calma.

Hoje, eu esqueci a poesia na cama.
Tentei sorrir e gritei ao receber uma mensagem.
Se você quiser dividir comigo minha indignação,
venha, nem sempre temos só coisas boas pra mostrar...

Beijos e bom dia!

un dress disse...

sweeT reMemberinGs...

Paulo Fernando disse...

Adorei o pessimismo otimista da última frase do texto: "todo show começa somente para poder terminar". Isso fecha com chave de ouro uma bela narrativa...

Abraços!

Crónica disse...

e qd terminar esse show vou estar na plateia não só a espera do souvenir... mas que ele sejas tu
sempre fogosa com palavras e sorrisos ardentes
sempre linda e conquistadora
vou aplaudir-te e dar-te a mão...
vamos dai que adorei o teu show....
Jinhuz Crónicos

Diva disse...

...and the show must go on...
Bjs meus