03 maio 2007

(Sem) Medo de Viver

Depois de chorar um rosário de lágrimas cristalinas percebeu que não podia parar. Um caminho se abria a sua frente e lá adiante estava o seu acontecer, ainda que quase imperceptivel e completamente nu ele transparecia numa luz azulada que só alguns escolhidos conseguem traduzir como viagem.
Inventou-se rapidamente num raio de sol e saiu para o trabalho vestindo cor e vida. Não olhou para traz. Seguindo-a até ao carro apenas o bater do salto alto no pavimento molhado pela chuvada da noite anterior e o bambolear das ancas sufocadas dentro de umas tchunas que convidavam a pecados inenarráveis.
Os cacos do seu pranto agora pertencem apenas a memória da noite. Na ternura do dia enovado apenas a decisão de lutar e vencer... amando sempre.
E porque mulheres falam com Deus, a ela cabe apenas a descoberta dessa língua...

14 comentários:

L.S. Alves disse...

Tchunas???

A.S. disse...

Escolheste o caminho. Não olhes para trás, pois terás no final uns braços abertos...

Um beijo!

zeze disse...

Olá Diva

Também não sei o que são "tchunas"
Então não te preocupes se o caminho tinha código postal...Para a felicidade claro...

Beijoka

Crónica disse...

Tchunas...se ñ estu em erro é um par de calças que delinea o corpo duma mulher... um termo mt moçambicanizado e mt da tua região tb....
sim amei o que escreveste...as tuas DIVAgações estão divinas.
Jinhuz Crónicos

un dress disse...

ai os cacos do seu pranTo...

belíssimo!!





full of god and dead red roses...



beijO.diVa

Vity disse...

Ola....

Não seria antes "Força de Viver"?
"vestindo cor e vida", "lutar e vencer" e "amando sempre"... são palavras que retratam a vida ... a vontade de viver.... de procurar um novo caminho, um novo sentido ...
Li confiança nestas palavras .... não li MEDO...
Espero que tenha lido bem... e que de facto estejas confiante na vida...
Beijo
Vity

o alquimista disse...

A tarde caiu, o sol partiu
No do vago que resta do dia
A tua presença é luz que me aquece
Coração a navegar, inconstância
Nas águas puras desta lagoa
Uma hortensia murmura um rumor
Um milhafre o amor apregoa...

Bom resto de semana...


Doce beijo

Diva disse...

I.s.
Desculpa por não ter “traduzido” o tchunas, mas aqui vai... “tchuna baby” é um termo bastante moçambicanizado como diz a Crónicas usado para caracterizar um tipo de calças bastante ousado, que marcam na exatidão o corpo da mulher, o coz é usado quase nas ancas, acho até que essa moda foi importada ai do Brasil (não sei ao certo).
Bjs meus

Diva disse...

a.s.
Sim...nao existe volta possivel...
Bjs meus

Diva disse...

Zeze
Mais uma vez peço descupas por não ter explicado o termo tchunas, mas já o fiz agora a pouco. O caminho da felicidade é aqule que todos procuramos...
Bjs meus

Diva disse...

Crónica
Miga, acertaste em cheio. Obrigada pelo elogio, embora alguém já me tenha dito que o post tava mto “cinzento”... Enfim, sabes que as minhas DIVAgaçoes como dizes combinam com a minha alma, nisso somos parecidas. Quando voltas?
Bjs meus

Diva disse...

Un dress
Bigado. Ah... aproveito para reclamar que não consegui comentar no teu blog, amei o último post mas não consegui deixar lá nada.
Bjs meus

Diva disse...

Vity
Amei a forma que interpetaste o post. Bastante mais optimista do que eu esperava, acho que mais cedo ou mais tarde mudo o titulo do post, assim que meu espirito permita...Bigado.
Bjs meus

Diva disse...

Alquimista
Teus poemas e textos são perólas para mim. Fico fascinada com o teu escrever. Ah...quando eu crescer (hahaha) quero escrever assim... Bjs meus