10 março 2008

Acordei assim... Perdida na escrita

Escrevo sem clemência, transformo toque em palavras, sem tremor encosto os versos a parede e peço solução imediata para a minha falta de inspiração.

Com indecência amarro os pulsos da emoção e beijo as letras com tanta força que magoou a escrita. Ela se perde aos meus domínios... e geme em pequenas frases...pintando com fúria o papel branco da vida, sugando tudo em leves melodias de guerra e escravizando o pescoço do poema com dentes e unhas. Encaixo-me… total e perfeita. Dedilho… metamorfoseando pensamentos em volúpias que ganham asas.

Borboletas no estomago. Extasio-me sem dor e nem compaixão. Em volta de vénus, muralhas de prazer se contorcem em desenfreados galopes de encontros e esperas de palavreados divinos que só se distanciam quando finalmente do meu estomago e de todos os poros se fecunda um poema.

14 comentários:

Sr do Vale disse...

Alguém que encosta o verso na parede, tem a poesia em suas mãos.

Abraços.

P.S. O que é B.I..?

O renascer da Fenix disse...

Diva amiga estiveste divinal....

Uma Grande Chama... para ti beijos

Bruno disse...

Feliz dia da mulher atrasado, Diva.

Tem homenagem para vocês aqui:
http://acepipesescritos.blogspot.com/2008/03/magnum-opus.html

Beijos!

NAELA disse...

Linda que bela descrição de palavras! Adorei;)
Beijos

Su disse...

Excelente!
A força que emanas das palavras que juntas, eleva-nos de qualquer lugar...
Estás definitivamente todos os dias melhor!
Parabéns oh peota!

beijo mui respeitoso!

Ps: qd sai esse livro?

Su disse...

B.I

Bilhete de identificação!

Noivo disse...

estás on fire mulher!!!

Dawa disse...

Beijinho grande, bons escritos e boa semana!
:D

Kapikua disse...

dá-me essa falta de inspiração por favor...

BEIJO

Anónimo disse...

Louca,
mergulhas-te nas profundezas. Sabes que terás rápidamente de voltar á superficie (realidade). Enquanto por aí permaneces permite-me que te sugira que escrevas. Muito. Deixa os dedos dedilharem humidos no teclado ao ritmo da volupia que te invade.
O resultado vai ser mais um capitulo do tal volume com capas a negro e ouro tal como previ á muito tempo.

PS.
Um dia alguem me disse. "para que me serviriam as drogas e o alcool se tudo aquilo que preciso está dentro do meu corpo e eu sei como usar para atingir os limites só acessíveis aos eleitos?"

Salve Jorge disse...

É deveras fecundo
Todo e qualquer poema
Que lhe tenha por tema
Em que arranhes um trema
Atiçando meu mundo
Com seus verbos
Seus desvarios
Suas coxas
És meu lema
E minhas semânticas te buscam
Como os labios que namoram-te o umbigo
Enquanto as sintaxes arranham
Ganham a pele
Deslizam rente e céleres
Até suas idéias
Até sua nuca
Lábios que descem
Concordâncias que sobem
Partes que se aquecem
Se derramam
Tremulam
Com as mãos nas ancas
E tua poesia nos lábios
Eu recito as sílabas da tua vontade...

Bichinho disse...

Eu tambem...beijo fantasma.

Um Momento disse...

uau...
Mas que texto:))))

Beijo grande!

(*)

Pearl disse...

falta de inspiração???
Onde???

Tu sabes que o texto está excelente, porque o sentes excelente!!! Tens que saber! Não podes não saber quando atinges a perfeição!!!
:o)))***