03 março 2008

Coisas do Pais da Marrabenta

Imagem tirada daqui



HOJE HÁ GREVE DE POESIA
Já que poucos desfrutam de exageros
e muitos sobrevivem de desesperos,
hoje não vomito meus raciocínios
prefiro engolir o que me resta nos neurónios
HOJE HÁ GREVE DE POESIA:
Quer por apatia
dos que nos causam azia
quer por simpatia
do povo cansado desta anarquia
HOJE HÁ GREVE DE POESIA
E assim vai Moçambique:
poucos, muito bem
muitos, muito mal
Mas basta! eu prometi que,
HOJE HÁ GREVE DE POESIA!
Mas revolta-me a arrogância deste governo
que mergulhados no inferno,
ainda deixam-andar
fazem-queimar
mandam-fumar
e só após um sinistro
é se que pronuncia o Ministro
E o presidente,
com crescimento do seu propalado empresariado
exibe-se cada vez mais sorridente,
quando bem, o povo sobrevive esfomeado
Mal sabe(?)que a greve
é, por si, um fenómeno grave:
ausência total de diálogo
carência mortal de afago
que, agarrado a seus últimos recursos
se agrava em múltiplos percursos
eclodindo em luta
e (na maioria) gerando luto...
MAS HOJE HÁ GREVE DE POESIA:
Quer por apatia
dos que nos causam azia
quer por simpatia
do povo cansado desta anarquia
Muronga

P.S. recebido por e-mail e aplaudido por mim... seja la quem foi que escreveu, Parabens!!!

10 comentários:

Diva disse...

Por favor quem conhecer o autor do poema me apite.
Boa semana pra todos.
Bjs meus

Su disse...

Não conheço o autor, obrigada por nos dares a conhecer a sua poesia...
apenas, faço um reparo, isto não é uma anarquia, isto é uma monarquia! Tempos de reis e de princepes e de povo escravo...

Beijos

NAELA disse...

Oi Linda, não conheço o autor, mas pela forma que escreve descreve muito bem a realidade do meu Moçambique...e infelizmente ha ainda quem tire vantagens disso e quem sofre é o povo onde apenas lhe resta migalhas....
Mas ainda tenho fé que as coisas um dia vão melhorar:)
Beijo

mik@ disse...

olá

vim cá dar um bjinho e desejar uma boa semana :) eheheh

kiss

Salve Jorge disse...

Uma salva de palmas
Uma ressalva de palmas
Um salva de plumas
De planos
E de poesia
Que faz greve
Mas não perde a maestria...

Kapikua disse...

belo poema !

Não te envio beijos amuado pelo post anterior

Saudações leoninas!

Sr do Vale disse...

Africa
Grande, Africa

Até quando ainda terás que sucumbir?

Oliver Pickwick disse...

Também não o conheço, mas o aplaudo de pé. Grande poema, mais verdadeiro, impossível. Aprecio as suas escolhas, doce menina.
Beijos, e dias felizes!

Pearl disse...

Quem escreveu sabia o que dizia!! E eu aplaudo ctg!!!
:o)))***

Paco Sininho disse...

Ps.Kanimambo-vos pelas ternas palavras de elogio ao texto "GREVE DE POESIA)..SOURONGA@GMAIL.COM




UTOPIA DO POETA


Sentado no rio do pensamento meu

Reencarno-me na dor dum esfarrapado povo ateu de esperança

Embriagado no elixir de falsas Leis, que a bem da verdade, a pobreza pouco matam!!


Inerte num sonho,

passeio-me nas paredes da colossal Julius Nyerere

num abismal contrastar com o caniçal do Xiquelene

e, materializo-me no parto deste poemeto

que assim se masturba:


Em asas pelo oceano da mente,

Agónico navego em hinos de revolta que esquartejem e matem a corrupção

zás

zás

zás…

e mais… e mais…neste cemitérios de murchas palavras,

no qual tu passeias, náufrago os falsos políticos..

e em lenta coma, deixo-os sucumbir na sua etérea ganância

...ressuscitando o Poder do Povo já há muito com ânsias de Jus no tecto da pele..

Imagina só?


Silêncio…

Silêncio…

Silêêêncio…que o meu poema continua ainda numa nua utopia :

-Transformar todos lugares onde a miséria se prostitui, passeia e a carne humana chicoteia…

Transformar tudo num sol de poesia sem dor…

transformara pobreza,

a corrupção…

amarfanhar esse eterno absurdo do Sapiens-Sapiens


Lamentos de mim:

Acordo algemado numa utopia

Sem asa nem casa


Muronga



Ps.Kanimambo-vos pelas ternas palavras de elogio ao texto "GREVE DE POESIA)..SOURONGA@GMAIL.COM