16 novembro 2008

Cinza em fogo

"...Tu eras também uma pequena folha
que tremia no meu peito.
O vento da vida pôs-te ali.
A princípio não te vi:
não soube que ias comigo,
até que as tuas raízes
atravessaram o meu peito,
se uniram aos fios do meu sangue,
falaram pela minha boca,
floresceram comigo..."

Pablo Neruda


Ah…vida… queria eu, agora agarrar-me a raiz dos teus cabelos, passear em ti nas asas do pecado e matar esta paixão sem nexo, entregando-me inteira aos caprichos e desejos do teu corpo.
Todo o dia. Toda a noite. Toda vida.

5 comentários:

kris disse...

eu posso fazer, eu quero fazer isso...eu vou fazer isso :)))

;)

kisses

O2 disse...

Ai kiii linnddoooo

:)

Desde o Neruda á embriaguês das tuas palavras, hoje tudo me faz sorrir... hoje é segunda feira e está sol!

Bom mergulho.

NAELA disse...

Oh que maravilhosooooooo! Bela escolha, Pablo Neruda e incansavel em suas palavras;)
Beijo doce

Bill Stein Husenbar disse...

Optima selecção da vasta obra de Pablo Neruda.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

Pearl disse...

Uauuuuuuu

ás vezes perco-me nas tuas escolhas, nas tuas palavras, sempre de uma intensidade devastadora!

:o)))***