28 junho 2008

Essencias

Apetece-me escrever silêncios. Eteressências mudas, profundas e cheias de emoção. Não confundam silêncio com tristeza, por favor. Escrevo silêncios... vendaváis que ascendem lentamente. Silêncios que acariciam, arrepiam e envolvem. Silêncios verdadeiros, intensos e puros onde apenas têm lugar os sonhos do antes. Uma escuridão que se solta das palmas das mãos e se arrebenta violentamente nos acordes de um par de asas fundidas na calmaria de um desejo saciado.

Não tenho lugar para nenhum som que não seja o barulho do silêncio, aquele que atravessa o corpo como um olhar, um beijo ou um abraço apertado que se perde no vento calado e se dissipa sem pressa num sussurro contido do contorno dos lábios entreabertos e nas mãos tremulas de uma paixão por nascer. Atormentam-me os rodopios e os suspiros soltos, nada me dizem os avessos dos ecos contínuos deste fim de tarde.

Na minha singular companhia, continuo invísivel arrancando de mim sorrisos e paz. Invento o futuro na simplicidade deste momento. Uma coisa é certa mil ilusões estão prestes a enloquecer-me…

13 comentários:

Joseph disse...

Diva
Olá

Brigadinho pela visita.

Amei este teu post.
"...que não seja o barulho do silêncio."
Tremendamente poético.

Sempre dentro dos silêncios, conseguiste fazer uma prosa, muito sensual, de desejos, sentires e esperas!

Não enlouqueças... que eu quero continuar a ler-te, saboreando-te.

Beijos, beijos;)**

cõllybry disse...

No solêncio se revela o mais puro amor...

Um terno beijo

Three Love's disse...

"continuo invisível arrancando de mim sorrisos e paz"


amei, e lindo seu texto, e belíssimo esse lugar.

b.e.i.j.o.s.

Dawa disse...

Ás vezes o silêncio é mesmo o nosso melhor amigo e vale muito mais que mil palavras, como se costuma dizer.

Beijinho grande e bom fdsemana!

Anónimo disse...

vicia-me :)

um beijo meu a ti
:)
quebradas de silêncios
enlouquecem-se em sons de corpos
num frenesim de paixão

Só Eu disse...

Mais um texto belissimo!
Parabens.
Que os silencios sejam aquelesque queres ouvir...
Beijinhos

daniel disse...

Olá

Há silêncios eloquentes, que não se podem confundir com estados de tristeza,
E por vezes, os primeiro fazem. São o nosso tempo de refletir.
Daniel

intimidades disse...

fantastico ::)

olha ve isto e o selo blog amigo que me pediram para participar e eu pus o teu no meu selo

http://intimidades-artecorporal.blogspot.com/2008/06/selo-blog-amigo.html

intimidades disse...

de nada , e sempre obm poder-se fazer um pequeno agrado a alguem

Jean Carlo disse...

Obrigado pela visita Diva.
Tb gostei muito de seu blog.
Já coloquei o link entre os meus preferidos.
Beijos do Amante das Imagens

REFLEXOS di LUNA disse...

Escrever silêncios é demasiado difícil quando depois de te ler só apetece falar sem parar ;-)...

Gosto da sequência em "crescendo" do ritmo a aumentar, da musicalidade das palavras e da forma como as escolhes para brincarem umas com as outras.

Belíssimo.

Hannah & Carlos disse...

Nada como o silência...
.
.
.
bjos
Hannah
Carlos

Su disse...

As pessoas mais interessantes que conheci, tem uma certa doze de loucura, a normalidade é sem duvida a palavra mais banal e sem graça que conheço, se ambicionas a criatividade, despe-te de todos o silencios e faz do teu som mais intimo o inicio de um novo ser, uma especie de lufada de ar fresco no meio de tanta savana por desvendar, atreve-te, explora, cria!
Somos, todos, o fruto de um sonho de alguém, a ilusão não é uma barreira mas um meio de lá chegar.

Beijos

Ps: curiosidade, lembrei-me agora, que um dos melhores criativos de publicidade dos nossos tempos, vive numa ilha, ondem nem carro há, ele diz que precisa de se despir de tudo o resto que se passa no mundo, para fazer algo realmente de excepcional, unico! E ele é um dos melhores na area!
:)