18 junho 2008

Obediente

Sinto-me música. Sou som. Hoje... R&B... meu corpo move-se numa batida suave. Sinto a resistência quebrar e a vontade me tocar ou ser tocada aumenta. Movo-me... requebro as ancas de leve, o momento merece obediencia. Neyo manda. Eu obedeço. Closer... came closer...e eu vou. Minhas mão precorrem o tecido da roupa, abro a mente e percebo-me excitada. O eco da voz adentra sem pedir licença, o ser trasforma-se em língua e dedos... uma avalanche de calor incendeia a mente. Não penso. Sinto. Sinto que me encaixo perfeitamente na vulgaridade do momento.

O centro do meu eu, transita no úmbigo e escala com fúria o sexo já insanamente obediente. O ritmo da música acelera e abranda como o dono quer. Eu obedeço apenas. Minhas coxas afagam o veneno que se solta escorregadio amaldiocoando o encontro comparsa ente o meu sexo e os dedos.Sinto. Sinto-me suspensa em gritos calados.

Resgato-me de uma rebeldia costumeira, antiga e hábitual. Não escrevo e nem traduzo primitividades. A temperatura ferve. Ultrapasso qualquer entender. Entre as pernas o movimento continua encandescendo em fogueiras de pressa e memória. A voz dele ganha corpo, hipnitozo-me pulsando desesperadamente. Arqueio as costas, roço o tecido da cadeira, prendo o grito, meto e tiro os dedos, sigo rumos e rotas desenfreadas. Finalmente... estilhaço por dentro. Respiro fundo mil e uma vezes. Sinto. Sinto que a música a muito acabou.
Estou pronta... Quero pele.

10 comentários:

NAELA disse...

Diva uma dança extremamente sensual, ao som do desejo apenas!
Profundo!! Adorei;)
Beijo linda

Cadinho RoCo disse...

Ao arder de cada fagulha do dizer não dito, só sentido no mais bendito estado, envolvo-me em busca das pernas que não tenho e da acolhida que necessito.
Cadinho RoCo

Anja Rakas disse...

Hoje eu estou pele...hoje não estou música...ontem estava...ontem era melodia desafinada e forte.
Hoje...sou simplesmente pele...sinto meu esqueleto quente e solto da couraça que protege o meu eu...
Hoje sou pele.

Beijão doce meu bem

Three Love's disse...

a maravilha de percorrer "rumos e rotas desenfreadas" sem pensar, apenas sentir...

lindo texto,
muito mais que simplesmente excitante;
amei.

b.e.i.j.os.

(a foto é perfeita)

Salve Jorge disse...

Toco
Canção
Corpo
Corro a mão
Carne nua
Trêmula
Me estimula
Sua
Soa
Ressoa
Cantada num murmúrio
Num verso preso aos lábios
Que percorre
Corre
Socorre
Tomo um porre
De cada melodia dos seus movimentos
Lentos
Faça assento
Sou seu momento
Entranho no movimento
Frenesi por todo o tempo
De língua que corre o pescoço
Moço
Moça
Carne nossa
E não há quem possa
Lhe cantar
Melhor
Que minha língua
Que meus dedos
Que tal qual aedos
Percorrem seus abismos
E abrindo mão do lirismo
Pulsam de verborragia plena
Dialogam, assim, à boca pequena
Que essa tua ginga
Esse teu fogo
Não é coisa terrena
É divina
Eu rogo
Afrodisíaca
Minha predileta maníaca
Me devorando em seu interior
Ardor
Calor
Fervor
Ah.. suor..
Murmúrios desconexos
Sexo
Nexo
Côncava
E eu convexo
Plexo
Que entoa
Minha cara leoa
Sua carne ressoa
Enquanto me arpoa
E não há unha que doa
Enquanto cortas minha carne
Pois é sua vontade que me povoa
Então venha me castigar e ser boa
Sendo má
Chegando quase lá
Feche os olhos e vá
Por sobre esse oceano
Até o terreno livre do meu plano
Onde pode tudo mais parecer insano
Mas é o local de onde eu tudo emano
Pra pele.. lhe dar...

Paradoxos disse...

Grande dançarina! Uma balada de volúpia que me queimou o timbre de tanta sensualidade! Nota 20.

Sr do Vale disse...

Estilhaçado estou,
hipnotizado,
por palavras ardentes e imagem insinuante.

E amaldiçoado pela distântância.

A]\/[®r@_D®c& disse...

altamente.....
pk nao convidaste???
dps ja tou a ouvir a musica
damn, adoro essa musica...

bjuuxxxx
bigada ploxxx comments

Só Eu disse...

Lindo! Sensual e provocador!
Gosto muito!
E se a pele, castanha de tantos mares, queimada de tantos sóis, te levar, mar adentro, até onde o sol de deita? Vais?

Sonhos e Devaneios disse...

ola, eu encontrei o seu blog assim meio por acaso e gostei muito da sua sensualidade.
beijos joao