01 julho 2008

Parti all dei long ;o))

Rodopio a vontade de ti e prendo-a entre a língua e o céu da boca. Um turbilhão de prazer precorre o sangue e se apoia a pele. Sinto-me escorregadia e mergulho por completo em teu corpo. No desespero, na vertigem e na carícia fundo-me em ti comandando os pedidos do nosso prazer.

Aos poucos rasgo-me em mil e entrego-me totalmente aos ais que se desprendem da garganta. Os movimentos se distorcem e o coração bate mais forte. A fome consome ira e obsessão. Encurra-lo tua alma entre as minhas coxas, me torno dona e senhora, e tu meu animal no urro.

Acabou a prosa, estou faminta... Finalmente transformo o verbo foder em comer. Aumentei a minha fome de ti.
Amanha escrevo mais...

10 comentários:

Anja Rakas disse...

Adoro comer...
É um dos prazeres mais fervorosos que existem...
Comer bem...comer saudável...comer verdura e se calhar carne branca.
Aiiii confesso ter fome...confesso estou com fome!
Vou comer sim...brevemente vou comer algo DE-LI-CI-OOOOOO-SO!
:)
Beijos angelicais

intimidades disse...

adorei a imagem

e o texto e simplesmente inspirador :P

Anónimo disse...

Louca,
a tua caixa de comentários está a ficar um "case study".

Adorei a canibal que come carne branca e verduras. Deve ter problemas com o colestrol!!

Tu pelo menos que eu saiba, comes todos os tipos de carne desde que tenha "muuuuito" nervo.

Cuida-te!

Three Love's disse...

uau...
que texto ofegante, quase não dá pra respirar...
aliás deve ser assim a Diva numa sessão de canibalismo... rsrsrs,

b.e.i.j.o.s.

daniel disse...

Diva

Gostei do teu texto, de facto, as palavras soaram-me a poesia. As poesia das palavras, como tanto gosto de manipular.
Fixei-me depois no final, pois sempre vi no ritual da mesa, que cultivo, como que o outro acto de que falas.
Só não pronuncio, porque o aprendi antes do liberalismo da interligação de sexos.
Bjs, Daniel

Joseph disse...

Diva
Olá

Essa transformação é soberba....
Só que assédio sexual no local de trabalho é crime!

Adorei ler o teu post.
Transportas a realidade para a virtualidade com uma destreza, que só quem sabe fazê-lo o consegue.

Amanhã espero ler mais...

Beijinhos;)*

(Posso linkar-te? Se tiveres mail...?)

Dois Rios disse...

Rasgar-se... entregar-se... deliciar-se... saciar-se. Fome de prazer não tem fim.
Amanhã leio mais.
Bjs.

Su disse...

FOME! Sim fome, muita fome, puta de fome! arrrrrr

:)))

Salve Jorge disse...

Debaixo da mesa
Ele só pensava na sobremesa
E em toda a beleza
Daquela mulher negra
Que desregra
QUe nada lhe nega
Que lhe pega
Lhe desassossega
Colega de trabalho
E de ralho
No falo
NO urro que calo
Queria tanto dá-lo
MAs só se fosse ao pé do teu ouvido...

Ju disse...

como sempre seus poemas são interessantes e exitantes ...adoro!!!
bjs