31 agosto 2008

Art


Esculpo o sussurro
com tinta e lápis
e num ritual imerecido
transito de mim em mim.

Nestes minutos de tréguas
louca, distraída e livre
faço dueto com o improviso
trocando o tempo pelo vento.

Nasce a letra
cavalgando na crina da vida
em tons de sangue e fogo
escreve-se o infinito antecipado.

Vida, vida, vida
rabiscada na fadiga,
uma reserva especial
pronta para ser sorvida…num gole único…


A muito que sei… Meu destino não é de ninguém.


10 comentários:

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

Não pertencer a ninguém que não a si mesmo... eis a liberdade q tantos buscam... ou q tantos não quereriam..

lindo poema Diva!

beijos e borboleteios!

Nanda Assis disse...

olá diva aos avessos.
adorei, me lembrei de capital inicial.
bjossss...

NAELA disse...

Vida rabiscada em versos deixados ao vento!
Lindo poema;)
Beijo de segunda-feira

L.S. Alves disse...

Engraçado, não posso mais ver a palavra vida que logo tu me vens a lembrança.
vida-->Diva, Avid, Vida.
Diva, Avid, Vida.
Diva, Avid, Vida.
Diva, Avid, Vida.
Diva, Avid, Vida.

daniel disse...

Diva

Um post de se lhe tirar o chapéu. Mesmo que haja um certo hipotnismo latente na paisagem, como se estivesse ali uma doninha a dominar, sendo-se forte lê-se o texto, de facto também ele atraente.
Beijo
Daniel

daniel disse...

Diva

Um post de se lhe tirar o chapéu. Mesmo que haja um certo hipotnismo latente na paisagem, como se estivesse ali uma doninha a dominar, sendo-se forte lê-se o texto, de facto também ele atraente.
Beijo
Daniel

Sonhos e Devaneios disse...

O destino só pertence a cada um.....e temos que enfrenta-lo dia a dia...beijos joao

Joseph disse...

Avid
Olá

Muito, muito bom este poema.
Aliás, o conjunto está soberbo!
A foto insinuante, qual bailarina dançando...
O poema em si (...adoro o transito de mim em mim...)
e a frase final: Tão real, nos tempos modernos.

Beijos meus, também;-)**

Bill Stein Husenbar disse...

Talvez o destino da nossa alma não seja pertencer a ninguém até nos próprios... No dia que a alma tiver um dono então talvez exista uma razão para viver intensamente.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

em azul disse...

Porque és tu(a)
Bonito poema, Avid