05 agosto 2008

Juan I

Conheci Juan a alguns poucos anos atráz. Não posso dizer que sejamos amigos, apenas conhecidos, que de vez em quando trocam sorrisos e cortesias. Temos mais ou menos a mesma idade e pelas poucas conversas tidas gostamos de coisas parecidas. Nunca nestes anos todos as nossas conversas nos levaram a algo mais íntimo, sempre o tive como um bro perfeito para uma night de bebedeira ou uma conversa muito pouco interessante, talvêz porque sempre me interessei por homens mais velhos e por achar que ele também fazia o tipo que gostava de garotinhas mais novinhas e que nada mais têm a oferecer que um belo par de seios (nada contra!). Enganei-me, hoje sei. Em pouco mais de simples minutos descobri que estava completamente errada. Juan é um homem e eu, por incrivel que pareça, eu nem me tinha percebido.

A pouco mais de um mês, sem até hoje me lembrar muito bem porquê a conversa desandou por um tom mais sexuado do que o costume, rimos e falamos da minha passagem pela cidade dele no final das férias e das nossas vontades individuais, contei-lhe da ideia que fazia dele e amigavelmente discutimos as ideias que tinha sobre ele, que em nada lhe agradou. Disse-me que lhe liga-se quando chegasse e que ele provaria que eu estava completamente equivocada. Senti, apesar da distância que algo inexplicavel e novo acontecia, uma curiosidade excitante, uma embriaguês com cheiro a loucura, mas nada muito palpável.

Cheguei a cidade dele cheia de outros planos (falhados) e mal me lembrava do Juan. Depois de 3 dias na cidade onde ele vive e a descoberta de que o programa para qual tinha ido tinha fracassado até ao limite da paciência, peguei no celular e avisei ao Juan que estava lá, muito alegre ele disse que se encontraria comigo ao fim do dia. Mas mais uma vez descobri que o final das minhas férias estavam condenados a normalidade. Ele não apareceu. Sábado, já passavam das oito da noite e estava eu numa festa animada com amigos quando vejo uma chamada dele não atendida pendurada no ecrã do telemovél. Sai para um lugar menos barulhento e retornei a chamada dele, muito brevemente ele pediu desculpas pelo dia anterior e perguntou se havia possibilidade de estarmos juntos. Eu disse que sim e sugeri que ele aparecesse, ele disse que viria logo mas que estava com um amigo que eu não conhecia mas bastante discreto.

Minutos depois pelo telemovél ele indicou-me o caminho para encontrar o carro num lugar escuro do parque de estacionamento. Fui até ele e me encostei ao mini bus que se encontrava em frente ao carro. Ele encostou-se a mim e sem muitas palavras nos beijamos com uma fome que não achei que existisse entre nós. Eram beijos molhados e ansiosos. Riamos e trocavamos breves palavras que agora não me lembro muito bem. Lembro-me sim do cheiro dele, um aroma mesclado entre a lata de cerveja quase vazia, um cigarro que deveria ter sido fumado a pouco tempo e algum perfume caro que se misturava com perfeição a pele daquele garoto que se revelava macho a cada instante.

A cada toque nos apercebiamos de que o arder da pele aquecia-nos com desejo a nossa crescente excitação, ele cheirava-me o cabelo e eu me deixava levar pela humidade interminavel da sua boca que sorria cheia de promessas por cumprir. Ele afastou-se um pouco para respirar e apresentar-me o amigo que assistia a cena dentro do carro, puxei-o para mim pelo cinto das calças e toquei a grandeza da sua masculinidade por cima das calças, tocava-o deleitando-me atrevida com a cumplicidade do momento.

Ele pediu ao amigo que saisse um pouco do carro, e nos acomodamos os dois o banco traseiro do carro. Abriu o zipe das calças e pediu que eu matasse a minha fome. Ele sabia exatamente o que eu queria. Não me fiz de rogada...

Ups... minha chefe chegou... termino mais logo... fui... Bjs meus...

6 comentários:

Anja Rakas disse...

Nota-se que voltaste...
Já começaste a matar!
Mas eu sou resistente...pra xuxu.
Esperei-te mas ignoraste-me.
Como sempre...subiste meus calafrios até a espinhosa dos meus dentes.
Adorei..
Aquele beijo...que só eu sei dar ;)

NAELA disse...

Wowwww!! Voltaste e em grande amiga!
Volta logo...estou curiosa para saber mais;))
Beijo e feliz pelo regresso

O Profeta disse...

Ai quem me dera agitar o tempo
Atirar a mágoa à voragem da noite
Arrancar as raízes ao pensamento
Sentir a paz que uma lagoa acolhe


Boa férias


Mágico beijo

daniel disse...

Ói

Muito tempo perdido, aproveitado ao máximo!...
Beijos
Daniel

A]\/[®r@_D®c3 disse...

hehehe....
hum.......
desejos e mais desejos

fui pra voltar

Salve Jorge disse...

Num carro
Contigo
Principiaria beijando-te o umbigo
Não por sarro
Mas para abençoar o portal do teu universo
Antes de banhá-la no meu verso
Pois antes de estar imerso
Quero que derrame-se em mim
Um derramar sem fim
De tremer as coxas
A cada arranhada
Deixando-a ainda mais assanhada
Enquanto com a boca deixo-a roxa
No meu cabelo agarrada
Pedindo por mais
Pedindo atrás
Onde minha mão ginga na tua dança
Ao compasso da minha língua que avança
Te enlança
Balança
E finalmente invade
Com o teu puxão súbito
Caudaloso
Pros olhos se encararem
Com seus desejos vorazes
E minhas partes deslizarem
Para suas bases
E com o talento que fazes
Me aprisionar
Sugar meu ar
Enquanto sigo a te desbravar
Até tremer o veículo
Até tremer a terra
O céu
O mar
E ter o prazer de ouví-la gozar...