07 novembro 2008

Free


O ímpeto de crescer e viver intensamente,

foi tão forte em mim, que não consegui resistir a ele.

Enfrentei meus sentimentos.

A vida não é racional! É louca e cheia de mágoa.

Mas não quero viver comigo mesma.

Quero paixão, prazer, barulho, bebedeira, e todo o mal.

Quero ouvir música rouca, ver rostos,

roçar em corpos, beber um Benedictine ardente.

Quero conhecer pessoas perversas, ser íntima delas.

Quero morder a vida, e ser despedaçada por ela.

Eu estava esperando. Esta é a hora da expansão, do viver verdadeiro.

Todo o resto foi uma preparação.

A verdade é que sou inconstante, com estímulos sensuais em muitas direções.

Fiquei docemente adormecida por alguns séculos,

e entrei em erupção sem avisar.

Anais Nin

6 comentários:

camaleoa disse...

Cada momento...
Cada sensação...
Cada receio...
CAda vontade...

Adormecemos de tal forma que a vida nos passa ao lado..
Mas, nunca é tarde para abrir a pestana... ;)

PS: Não sou nada mázinha... Só às vezes... lololol...
Dentadas podes dar.. Está livre como um pássaro.. ah ah ah

em azul disse...

Talvez seja melhor sem aviso...

Abraço
em azul

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

Superativa!
E estimulante aos seus leitores, querida!
beijos e borboleteios

Cadinho RoCo disse...

Mas a surpresa da erupção é sensacional arrebatadora.
Cadinho RoCo

Anónimo disse...

love dictated my fate...i leave it in your incapable hands (yours truly)

O2 disse...

Gostei do texto, muito forte, destemido!

Beijo