30 outubro 2009

Grey's

Acinzento o sussurro e começo a chover... Quando acordo assim é impossível maquilhar os olhos, as palavras ou os sentires pois, irremediavelmente tudo que sinto se lava nos pingos prestes a cair em mim. Não...não me sinto triste. Não... não me sinto alegre. Estou difusa e meio confusa, vacilando o humor entre gargalhadas vazias e silêncios sem sentido adivinhadas em excitações e desilusões que se encerram num verbo ainda por criar. Sinto feridas antigas a latejar. Não doem.

Acho que acordei excessivamente delicada, demasiado indefinida e completamente sem sentido. Estou presa nas muralhas de muitos pingos de chuva que ainda não caíram e me deixo desencantar pelo olhar que me mostra as ruas lentas e estreitas onde a atmosfera se remenda de aromas acústicos da terra molhada e da timidez dos palcos vazios que fazem eco dentro de mim. O tempo quebra-se entre os meus dedos e o tic tac do teclado frágil rouba de mim estas palavras alucinadas que por não conseguir pronunciar honestamente escrevo... é-me mais fácil prosear pontos de fuga e por isso hipoteticamente a chuva não me fere. Bebe-me a alma. Lava-me as arestas mal desenhadas do meu corpo. Descortina-me os delírios.

O cinzento combina com os trejeitos de mim, com as minhas esperas e com os fiapos de memória que envergonhados, teimam em confundir-me violentamente os poros da pele húmida. Quando chove tenho medo de confirmar que tenho boa memória. Foda-se pra isto!

4 comentários:

Salve Jorge disse...

Cinzenta
Pode até ser que você tenta
Mas seu colorido
A falta de cor logo afugenta
Afinal teu vivido
Sempre se reinventa
E um novo mundo despido
Logo se apresenta...

KImdaMagna disse...

...

prosear pontos de fuga,podem ser
os pingos de chuva que ainda não caíram...

no entanto os pingos de chuva são causa directa do verde esperança vegetal...

...mas a criança apesar de mostrar, sem querer, que de todo se alheara do abismo sobre que pairava, não caiu.

xaxuaxo

Radka disse...

Hello, you have a very nice blog, and your photos are very beautiful, I wish a nice day, Radka.

Kanino disse...

Isto recorda-me dum poema d Miguel Torga d ha muitos anos... Nice