04 novembro 2009

Putz

Disseram-me que preciso decidir se aprendo a amar ou se encontro um atalho para escapar de tal destino. Aborrece-me a ideia de todos precisarem saber amar. Putz...Existem os que nunca aprendem. Existem também os da minha raça... Aqueles aqueles que aprendem mas não sabem usar, que guardam o amor num canto da carteira, no chaveiro do carro ou no bolso daquelas jeans surradas e que apenas usam em fins de tarde quentes ou em noitadas regadas a boleros calmos, beijos molhados e gemidos indecentes mas que normalmente lhes perdemos o rasto juntamente com algum silêncio por definir no dia seguinte ou numa babalaza de sentimentos que apenas curamos com quantidades industriais de água mineral e aspirinas próprias para repetentes na arte de amar.
Epa...será que de vez em quando essas aspirinas também curam burrice crónica???

5 comentários:

KImdaMagna disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
KImdaMagna disse...

... por isso é que por vezes tenho esta imagem dele ( o amor):

...APERTO EM CORAÇÃO

uma masmorra
por fora
brilhoroseante
dentro
penosas argolas
castrantes…

o ar escasseia
deixas-me
plo delírio da posse
ínfimo centímetro cúbico
pra sonhar
agrilhoas-me liberdades
implacável colocas chumbo
nos pés do meu pensamento

até
meu olhar
posto nos pontos sem retorno
dele
queres ser dona
como de um metro de corda
em pescoço de fiel cão amigo
enroscado em teus pés

assim eu…
não sou…

sou tu…

Amor, felicidade, são tudo invenções nossas para aplacar a ignóbil tentação do domínio sobre os outros

Palma da Mão disse...

Rsrs, é miga, eu acho que amar é mais um estigma da sociedade, e admitir-se que é possivél viver sem amar, ou amar de forma errada, sei lá, amemos o que é nosso, amemos a vida que trazemos à vida e o resto vai-se ajeitando(?),rsrs.
Ès tu assim Diva de vida:)
beijinhos querida e obrigada pela visita

made in ♥ love disse...

Tenho uma menos boa noticia... é que acho que não curam... :S


Um beijinho
Eduarda
Be in ♥ love

Bela disse...

Não sei se aprendi a amar ou não, mas meu amor é como o Sol, ilumina a mim e aos que a minha volta estão com toda força.
Bjinhos ;)