04 janeiro 2010

2010



… E sem pressa mais um, entre tantos novos anos bateu a porta e se inventou o novo, cheio de promessas mil vezes melhores que nos trazia o velho ano que cheio de madeixas brancas tudo fazia na calma dos dias. E tudo ri. Promessas. Promessas. Promessas. Será que 2010 é macho??? Iludo-me. Afago a sua chegada com banho de pétalas de rosas brancas e o prateado da roupa reluz em mim como um mar de sal que tranporta os nossos sonhos nas palmas das mão. Boas vindas ao ano novo!!!

E num acto de magia se esquece tudo que o velho ano carregou com ele. No tumulo ele ecoa silencio. Abre alas para o novo. Se transforma em passado. Se encerra num ciclo, mais um tempo perdido no calendário dos tolos, ele pensa. E se cala nos pingos das lágrimas para ninguém o ouvir chorar. Está certo. Ninguém o ouve. O fogo de artificio barulhento aclama endoidecido o vinte e dez que chegou pra ficar. E tudo se festeja. Promessas. Promessas. Promessas.

... E assim começa uma nova história com asas de papel, que deixo polvilhar em magia na escrita prometendo segredos perfumados de pecado e deslizando levemente, escorregadio, impaciente, fazendo borbulhas de gás na pele da loucura. Sorrio e revejo os outros anos nas mesmas promessas deste instante que floresce ardente numa imensa espiral de esperança. Promessas. Promessas. Promessas. Acredito nele. Mais uma vez.

Preciso me dar (como sempre)...e me entrego a vida na certeza de mais um recomeço e escancaro a porta principal do sonho, tiro os pés da nuvem e me preparo para o habitual abandono pelos labirintos, becos e vielas do mais novo ano pelos deuses inventados. Mais uma estrada é pintada a lápis salpicando o futuro com cores diferentes. E sem perceber a sede bebe em mim toda a carícia desejada, toda intensidade dos sentidos e toda a carícia rabiscada indiscretamente na cegueira das minhas esperas. Vinte e dez, é o ano. Promessas. Promessas. Promessas.

... E assim se descobre que sou viciada em esperança. E dai? Sou mulher, e por isso muito mais que humana... Acredito que promessas se cumprem. Mais cedo. Ou mais tarde.

4 comentários:

Kapikua disse...

Eu acredito em muito pouco, mas numa coisa acredito/tenho certeza, és uma escritora de mão cheia!!!!

Beijo TUGA!!!!

L.S. Alves disse...

Feliz 2010 moça e que algumas promessas se cumpram então.

A.S. disse...

Avid...

Teus textos deixam uma sensação de intemporalidade. É como se depois de lidos permanecessem vivos dentro das palavras. palavras tão belas, tão doces, tão sensuais como caricias...


Beijos
AL

O2 disse...

Quem escreve assim, não pode ser pequeno! Força mulher! E que venham muitos mais anos cheios de coisas boas para nos lembrar-mos a rir qd formos velhinhas, olha q cenário!

:)

Gostei de te ler.


Beijao