11 fevereiro 2010

Sublimação

... Ela atiçou-me a boca bamboleando as ancas e oferecendo os seios a minha fome. Sorri e aproximei-me extasiada atrevendo os meus dedos naquela pele negra e acetinada que se estendia com loucura amparando os meus desejos mais secretos. Beijei-a com as pálpebras abertas e fracas enquanto sentia suas mãos percorrerem sem vergonhas as minhas coxas e levantando sem pressa a mini-saia jeans antes de se agachar a meus pés. Reconheci-lhe no rosto um sorriso cheio de pecado e se equilibrando no salto ela baixou e em minhas coxas fez seu templo. Sentei-me quase que sem outra saída possivel e deixei que ela tomasse o comando daquele naufrágio.

... Ela abriu-me as pernas e com sua língua flutuou faminta por entre as minhas coxas onde me sentiu quente qual lava incandescente e, em movimentos impiedosos ela me fez implorar que me devorasse com toda a pressa do universo. Em vez disso, ela roçou o corpo dela no meu e subiu até minha boca onde depositou a língua cheia de aromas e essências minhas. Afastou-se e por segundos me olhou de forma animal. Não resisti e violentamente lhe agarrei os falsos cabelos pela raiz e não mais pedi. Ordenei que me oferecesse um orgasmo.

... Ela abriu as pernas e se cruzou em mim encostando nossos sexos completamente molhados e numa dança pagã nossos corpos se contorciam indo e vindo de dentro para fora fazendo os corpos gritarem de cobiça e tentando a todo o custo não fechar os olhos da alma. E nenhuma de nós conseguia parar pois, as entranhas húmidas e femininas se esfregavam com tanta avidez fazendo em poucos segundos apenas restar um orgasmo lascivo e indiscutivelmente insano.

...Ela se afastou e preguiçosa se aproximou de mim para partilhar um beijo quente e suave que parecia engolir os restos de fogo que pingavam para fora da pele. Nos instantes seguintes ela fez do meu mamilo seu brinquedo favorito, fazendo da calmaria e do silêncio uma nova tela pra ser pintada com calma e perícia. E enquanto eu percebia se tinha acontecido ou se ia acontecer ela disse baixinho no meu ouvido: “Agora com mais calma..”

7 comentários:

Zeze disse...

Olá
Lembras-te de mim? ehehe

Andei nos posts antigos e encontrei-te novamente :)
isto por aqui continua quente :)
Beijoka

c.a.r.l.u.s. disse...

Ma-ra-vi-lho-so!!!!


Conto majestoso, lindo e muiiito quente.
Como o ZEZE também te reencontrei (Eu escrevia o Three Loves). No meu novo blog, tem um post que acho que vai gostar (Aventura nas férias).


Ah, já tive o prazer de ver duas moças fazendo isso, é maravilhoso:

"Ela abriu as pernas e se cruzou em mim encostando nossos sexos completamente molhados e numa dança pagã..."

Bjos

Eu sei que vou te amar disse...

Woww! Bombasticooooo!! Deixo o filme correr na minha mente...as palavras ficam para depois!
Beijo Diva

camaleoa disse...

tsc tsc tsc......
hummmm.....

.........................................................................................................

L.S. Alves disse...

Gostoso como os melhores textos que tu escreve.
Beijos.

Henri disse...

Quente e interessante texto!

Joseph disse...

AVID,
Ola.

E, perante esta pérola erótica,...de cumplicidades femininas...que adorei ler e acompanhar....
...o que é que eu faço?

ADOREI. Estupendamente bem escrito, com poesia, sobretudo com tempo certo a cada passo!

Fica bem.

Beijos meus, também:))**