12 setembro 2010

Passione

Fico desnorteada com a maneira que te ofereces. A palavra abandona-me e o corpo reage de imediato. Mergulho nas gotas de ti e mesmo sentindo os bolsos vazios e ensurdecendo-me com os tilintares de pós de terra e desejos que em ti se libertam... Engulo-te o sémen do poema. Lambo os lábios e ainda no pleno do tremor dispo-me assim em nós inquietos.
Deixas-me transparente e de alma descalça. Rasgo a palavra num gesto impensado e desespero-me num ritmo onde só tua boca saberá exorcizar minha fome. Trago febre entre as coxas. Sede de outras vidas. Desejos mantidos.
Roubas-me os limites...não existe resto pra ser olhado. Nem sentido.

2 comentários:

Kapikua disse...

por acaso ainda não vi essa Telenovela, mas se é assim vou passar a vê-la! :)

beijo meu

Su disse...

Muito bom, saudades de te ler.
Beijoooo-te!
:)