22 abril 2007

Dependência


Um poderoso sentimento
do meu corpo se apodera
apetite insano, sede absurda
que domina os meus sentidos,
me excita, me oprime o peito
um vício desgovernavel
uma enorme vontade física de ti
que sacio momentaneamente
nos instantes em que somos um só
em corpo e alma...

Observo-te à distância
e as vezes quando em mente te aproximas
seja para te banhares na lua,
seja para amares a noite,
a vontade de ti aflora como imenso desejo
e o desejo de tocar-te...
Atravessa a barreira da pele .

És meu vicio, meu ópio
viciei-me em teu corpo
aprisionei-me na tua alma
abençoada seja esta droga
bendito seja este pecado
que não sei se é doce ou amargo
porém, me alimenta
e faz sentir-me viva.

7 comentários:

sonhadora disse...

Sonhos mágicos.
Beijinhos embrulhados em abraços

Crónica disse...

Não é um vicio,
não é algo q se apodera de ti e te domina
é a tua essência...voraz
tá no teu sangue minha linda...
é o teu ser, nasceu ctg... e está ai em erupção....
tem quimica e fisica qd teu instinto cheira o ser que te deixa assim
beijos crónicos

Diva disse...

Sonhadora e Crónica
Bigado. Não divagarei muito sobre esta dependencia...esta ainda em processo ...quem sabe em outro post.
Bjs meus

Anónimo disse...

Não é vicio não. Nem dependência sequer. É vida. São as memórias de momentos que se nos agarram á alma. O flachback incessante que repassa na tela e nos retorna ao experimentado extase dos sentidos. São “momentos-de-vida” eternos.

Nelson Ngungu Rossano disse...

Lindo poema!

Há quem diga que um vício desgovernado, pode causar a destruição...

bj

Diva disse...

Anónimo
Pode ser...gostei dessa definição “momentos de vida eternos”, soa bem melhor que dependencia. Obrigado por me fazeres bem ao espirito.
Bjs meus

Diva disse...

n.n. rossano
Ou então pode originar também momentos inesqueciveis... o saldo fica para depois. Temos é que no fim ter forças para a “libertação”.
Bjs meus