28 julho 2007

Maria Mulher

Maria encostou-se aos anos e deixou-se ficar ali com os ombros descaidos amparando-se apenas nas lembranças. Escreveu no papel amarrotado da vida, escrevinhava mil verdades que desdobrava na memória ponto a ponto. Fingia acarinhar as letras redondas que transpiravam como mentiras obesas.

Maria espreguiçava-se de quando em vez e ajeitava as belas e largas ancas aprisionadas a capulana azul berrante comprada num dumba-nengue qualquer. Suas letras continuavam a respirar ausencias incertas de sabe-se lá o quê, aninhavam-se mais erros que frases. Erros repletos de doces ternuras.

Maria aprendeu a escrever quando aprendeu a sonhar.
Desde os seus primeiros sonhos que a sua alma menina começou a sangrar poemas como forma de escutar suas tristezas. A muito, que tinha vontade de viver vivências disvividas.... de correr descalça nas areias mornas do Wimbi, de adormeçer abraçada a um amor coberta pelo manto de estrelas do índico, doce esse teu sonhar Maria.

Nos degraus do sonho sonhado ela gatafunhava poemas infinitos que seriam entregues a si própria. Na tinta preta, palavras inventadas num beijo incógnito e sem destinatário.
Maria tinha saudades de ser nascente de alguém. De dividir pobrezas e multiplicar silêncios.
Transpôs a escrita do papel amarrotado e sorriu.
Coloriu a última rima e jogou os sonhos ao vento.
Maria criou asas minha gente!!!

9 comentários:

Marcelo disse...

"Maria tinha saudades de ser nascente de alguém..."

Ok, uma única palavra: Deslumbrante!

Quero, também, ser nascente de alguém.
Ainda chego lá...

Beijos, garotinha alada.

Nilza disse...

Muitas vezes a solidão cria asas sim..

beijos e bom domingo

ErosLibru disse...

Novo por estas andanças, descobri este cantinho, por onde me demorei. Estou a construi o meu também, ainda com reserva...

Sutra disse...

Cânticos nas palavras...

Bj doce

B. disse...

Maria virou anjo? rs

Ainda estou boba com a coincidência do texto anterior. As palavras, a escrita, a ordem delas... tudo igual. Te inspiraste nele ou fo imesmo o acaso? Sei lá, essas coisas me dão medo.

Bisous.

AcidoCloridrix disse...

Uauuu,,, e para onde será que Maria voou,,, ou vai voar????
HCL

Diva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diva disse...

b.
Nao acredito em conscidencias. Sentimentos parecidos? Palavras? comeco a ficar curiosa, pois nao sei do que falas...deixa-me la ir cuscar no teu cantinho... hehehe

HCL
Maria criou asas... se voou? Nao sei, a quem tenha medo do desconhecido, a quem se aventure nele sem medo... Maria? Nao sei...

A todos,
Bjs meus

Dias... disse...

Boa surpresa este post.

Os teus verbos são bastante bons, mas desta vez é nos conteudos que me captas, conteudos que repentinamente me colocarem longe do chão, sem aviso, e eu adorei estar longe do chão, estar perto da esperança de quem quer.

Beijo agradecio