29 julho 2007

Desejo: Cena I



“Num punhado de veludos caros tento escrever versos raros que teimam em não brotar.
Decididamente não sou poeta e nem sei amar... Resta-me ser-te crisálida que sonha sem amanhã...Que no deserto da vida sejas oásis do hoje porque para amanhã, meu caminho é perdido de ti.
Nunca te consigo escrever nada... tiras-me as palavras dos dedos com a mesma rapidez que as ondas se desfazem na areia. Corro o risco de desaprender a escrever... Serei obrigada então a sussurrar-te desejo com a boca, com as mãos, com o corpo inteiro...”

7 comentários:

Leonardo Vieira disse...

Não imaginas quão enorme é meu prazer quando sussurras-me teus desejos íntimos aos ouvidos, quando tua boca molha meu pescoço deixando-me todo arrepiado.
Mas não, não deixes de escrever por minha causa. Longe de mim tirar-te as palavras por serem ditas!
Quero que o mundo todo saiba o que te vai dentro, quando em mim pensas!

LV

João Cordeiro disse...

Belissimo

Regressado de uns dias de ócio, eis-me de novo na partilha do ser…

Uns tocam-nos o corpo sem nunca nos terem tocado a alma... e outros tocam-nos a alma sem nunca nos terem tocado o corpo...


Beijo sonhador

Moçambique é longe :-(

Dhyana disse...

Acho que qq um prefereria "cartas" sussurradas desta forma belíssima.
Beijos Diva.

Dawa disse...

Linda foto, lindas palavras... tudo mto lindo por aqui.
Beijinhos p ti e p a princesa. ;)

Dias... disse...

Uau, e agora voltei a ser surpreendido...

Gostei, gostei muito.
Tem uma frase demasiado vulgar para o todo, porque o todo está realmente muito bom. (É esquecer essa frase e seguir com a leitura...)

Assim, honesta, entregue à evidencia, e com a humildade que caracteriza que sabe o valor que possui. Adorei-te!

Parabéns miuda

Beijo

João Cordeiro disse...

Obrigado Diva... pelos teu carinho.

Realmente o longe torna-se perto se assim o desejarmos.


Beijo pisciano

Vity disse...

Ola...

As palavras escritas podem ser maravilhosas ... mas as sussurradas ao ouvido são divinais...

Beijo
Vity