12 setembro 2007

Trilhas

Ponho um beijo
demorado
no topo do teu joelho


Desço-te a perna
arrastando
a saliva pelo meio

Onde a língua
segue o trilho
até onde vai o beijo

Não há nada
que disfarce
de ti aquilo que vejo

Em torno um mar
tão revolto
no cume o cimo do tempo

E os lençóis desalinhados
como se fosse
de vento

Volto então ao teu
joelho
entreabrindo-te as pernas

Deixando a boca
faminta
seguir o desejo nelas.
Maria Teresa Horta

10 comentários:

Luz&Amor disse...

Em torno um mar
tão revolto
no cume o cimo do tempo
E os lençóis desalinhados
como se fosse
de vento

Lindo demais, adorei me perder por aqui. Deixo-te beijinhos carinhosos.
Bjs

alexia disse...

Estou na fase ideal para ler estas coisas:))

Kiss

Mustafa Şenalp disse...

çok güzel bir site.

lumadian disse...

muito bom! Gostei!!

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Tanto desejo...


gostei*******************

Bruno disse...

Não faz bem eu ler essas coisas no escritório, com um dia lindo lá fora...

Beijos

Repórter disse...

Huffffff
Olha que estou gripada...
Ainda me falta o ar:))))
Intenso!!!!
Lindo!!
Ufffff
Sorrindo
Deixo um beijinho... em Ti
(*)

Diva disse...

Entao... trilhemos...
Bjs meus

un dress disse...

poema entre aberto...:)





beijO

Mar Arável disse...

MARIA TERESA HORTA - SEMPRE