25 janeiro 2008

Não te amo

Tirei esta foto ontem, não pude deixar de pensar...em mim.

Não te amo, quero-te: o amar vem d'alma.
E eu n'alma – tenho a calma,
a calma – do jazigo.
Ai! Não te amo, não.

Não te amo, quero-te: o amor é vida.
E a vida – nem sentida
a trago eu já comigo.
Ai, não te amo, não!

Ai! Não te amo, não; e só te quero
de um querer bruto e fero
que o sangue me devora,
não chega ao coração.
E infame sou, porque te quero; e tanto
que de mim tenho espanto,
de ti medo e terror...
Mas amar!... Não te amo, não.
Almeida Garret

7 comentários:

Kapikua disse...

Mesmo quando não te apetece pegar na caneta e escrever, seleccionas sempre algo de muito belo para nos brindar!

Quero-te muito!!!

Beijo

Anónimo disse...

Abrir a janela e voar. Cair no chão e chorar. Sangrar e gostar. Rir no silêncio. Beijar quem aceitar. Sem perguntas. Amar e ser amado. Sem nada para trás. Nem para frente. Sem estórias nem obrigações. Por uma noite. Por uma hora. Agora. Já. Por favor... Aceitas? Tira-me do sério. Há muito que ninguém o faz. Se calhar ninguém o fez. Dá-me um sinal. Vive comigo uma ilusão. Um impulso. Depois seguimos o nosso caminho. Ou ficamos juntos. Mas o sorriso dos lábios ninguém nos poderá tirar.

Patricia

:) disse...

Claro que não!

Como todo o poeta vives de paixão, de paixões! Precisas de algo sublime para te lançares no vicio das palavras que queimam…

MAS, cuidadoooo, esse poema é escrito por homem... com mulher, meu amor, a coisa tende a complicar, dá um desequilíbrio na alma, traz uma espécie de insegurança, um vicio que desassossega, as vezes cria devastação… e qd damos por nós queremos a pele e o avesso, e mais e mais e mais… e pronto é ai que a coisa mela… blablabla

Promete-me apenas que vais começar a cuidar bem desse coração!

markus disse...

Diva,
Lindas palavras de Garret, de facto amor, amor é uma coisa especial, não é 1 sentimento qualquer.
Um carinho de bom fds.Bjos****

O Profeta disse...

Um não é tão parecido com um sim...apenas 3 letras...

Este vento que sopra nos brandais
Leva de arrasto a minha alma
A proa estende-se adiante na vaga
Olhar de garça o meu coração acalma

Ai quem me dera voar no canal
Ai quem me dera ser a tua espera
Ai quem me dera que o amor
Ai! morasse naquela terra


Bom fim de semana


Doce beijo

un dress disse...

amor e medo de mão dada .

agora. como então.






.beijO

luafeiticeira disse...

Aí está o meu poema preferido de garret.
Beijos daltónicos