14 maio 2008

Farinha do mesmo saco

Em cada gesto perdido
Tu és igual a mim
Em cada ferida que sara
Escondida do mundo
Eu sou igual a ti

Fazer pintura de guerra
Que eu não sei apagar
Pintas o sol da cor da terra
E a lua da cor do mar
Em cada grito da alma
Eu sou igual a ti

De cada vez que um olhar
Te alucina e te prende
Tu és igual a mim

Fazes pinturas de sonhos
Pintas o sol na minha mão
E és mistura de vento e lama
Entre os luares perdidos no chão

Em cada noite sem rumo
Tu és igual a mim
De cada vez que procuro
Preciso um abrigo
Eu sou igual a ti

Faço pinturas de guerra
Que eu não sei apagar
E pinto a lua da cor da terra
E o sol da cor do mar

Em cada grito afundado
Eu sou igual a ti
De cada vez que a tremura
Desata o desejo
Tu és igual a mim

Faço pinturas de sonhos
E pinto a lua na tua mão
Misturo o vento e a lama
Piso os luares perdidos no chão
Tatuagem-Mafalda Veiga

Nada como fazer maldades, acordar sorrindo, ouvir a Mafalda, e ficar com vontade de comer morangos com chocolate... Bom Diaaaaaa Vida!!!

5 comentários:

Agry White disse...

Em tempo de confusão organizada, não há menu que resista. Escolherei, mais tarde.
Bjs

ximbitane disse...

Menina, que espaço magico! Tanta ousadia, coragem e desenvoltura!
Ui, este cantinho agora também é meu!

Bjus

NAELA disse...

Linda ainda nao ouvi a Mafalda, tens que colocar um video dela so para mim eheheheh!
Mas o poema e encantador!!!
Beijo linda

Sutra disse...

Tatuagens, excelente escolha ;-)

Beijo doce

Pearl disse...

He he... estou a ler de trás pra frente... já teci a minha opinião no post anterior, oui posterior consoante a ordem...
Mas gosto de mafalda veiga, e gosto muito desta música..