13 maio 2008

Por Terminar...

Saimos pra dançar… a madrugada ainda é recém nascida. Aos poucos o toque da alma da lugar ao toque ainda tímido da pele. Surpresas, ilusões, expectativas, ternuras, sorrisos e olhares, tudo no mesmo pacote de ansiedade que se colava ao ser.
Nossa sede aumenta a cada instante. Eu sinto. Ele vive. Significados gritados em palavras nulas chegavam a mim em códigos apenas entendíveis por amantes. Minha boca se transborda em fome, tuas mãos perdem-se em mim ao som do reggae, minha calma se esvai na fumaça da passa intoxicante que sem querer nos embriaga a conversa quase sem sentido.
Seguimos ao ritmo do som... inconsequentes... Jeans, spin, cumplicidades, perfumes, liberdade. Coisas comuns. Intenções claras.

Dançamos. Em cada beijo roubado um quero mais declarado. Eu quero. Tu queres. Dançamos. A porta do desejo se escancara perante tais sensações. Avanças. Recuo. Queremos. Eu sei. Tu sabes. Peço treguas. Pouco a pouco me vicio no teu embalo. Desfazes-me as resistências. Uma a uma. Quero. Quero. Quero...
Somos três, entretanto. Eu. Tu. Ele. Danço contigo. Olho pra ele. Humedeço-me aos poucos, na tarraxa somos só nós dois. Eu e tu. Excito-te. Ele quer. Diz-me... gosto. Hoje três é demais. Digo-lhe num sussurro quente.É teu sexo que me enebria. É tua boca que me sacia. Doce e sal é o que quero. Pressinto... Existe um tempo que se aproxima...

Quem sabe um dia...
Terminamos?

10 comentários:

NAELA disse...

Diva um paradoxo de sentires...hummmmmmmm aventura, jogo e seducao!
Quero saber mais...
Beijo linda

Anónimo disse...

pois,
palavras bonitas e adiamentos... sempre... um dia....

Salve Jorge disse...

Qualquer dia
Em que você existia
Era o dia que ele preferia
Ele nunca resistia
À sua magia
Sempre ia
Em você se perdia
No atrito com sua calça
Roçando os dedos
Baixando a alça
Da tua blusa
Pelo teu sabor me enveredo
Beijo-te atrás da orelha
Enquanto você ousa
Me abusa
E eu ataco
Pro seu recuo exato
Mas eu sempre arco
E morro na malícia do teu olhar
Bem sabes me excitar
Com suas propostas
E com essas costas
Que não canso de arranhar
Esse pescoço
Que subo os cabelos
Onde me roço
Lhe encoxo
E digo que se esse dia
Não é agora
VAmos embora
Ou lá fora
Que eu preciso lhe devorar...

un dress disse...

bem:

con ti nua >>> :)

intimidades disse...

e bom deixarmo-nos levar

tas adicionda aos meus favoritos

jokas

Paula

EDUARDO disse...

concordo com a amiga Naela :-)

Paradoxos :-)


beijinhos...

TOOP disse...

Lindo e quente.
:)

Camilinha disse...

ahã. feche a boca, meu bem.
que boca seca não presta pra nada.
sim.
eu sou o êxtase.
embriaga-te enquanto
ainda te quero.
é perfume de loja não -
vem de dentro
e cheira a sexo.
sim.
eu sou a luxúria.
suga com vontade a minha vontade
de ti,
que meu corpo padece
de tesão.
vem, fica parado aí não -
que desejo é lava,
é pó,
é nada.**

beijos daqui...

Anja Rakas disse...

A forma simples como um "Quero-te" faz-nos sentir é embriagador.

Quando dito com sentimento, com propriedade, com autenticidade torna-se num momento inigualável de pressão sanguínea que corre o corpo todo e nesse preciso momento tudo se torna uma semente e nós o produto dentro da semente...esperando nossos próprios desejos e anseios para germinar...
Como bem dizes...quem sabe um dia...

Lindonaaa..

Adorei...
Bjs

variasformasdearte disse...

Começar pelo fim?!

Som Reggae... hum que delicioso!