14 junho 2008

Soul Strip

Existir em palavras de seda e ar é sempre difícil.

Danço nos meus pensamentos e na inquietude da minha alma.

Não fujo e nem me nego. Dispo-me sem reticências...

5 comentários:

Anja Rakas disse...

Vi-me recentemente as portas com a minha sensualidade...
Vi-me a duvidar da minha sanidade...
Vi-me ao espelho e voltei atrás no tempo...
Voltei a tempos em que a toranja era doce, o morango amargo.
Vi-me frente a frente comigo mesma...
Vi-me dentro da minha alma...raptei-a, rasguei-a e...despi-me de mim...
E foi/é a sensação mais completa que já senti...
Conto os segundos para voltar a fazer...para voltar a sentir...

"A alma é uma coisa que a espada não pode ferir, o fogo não pode destruir, que as águas não podem maltratar, que o vento de meio-dia não pode secar."
Textos Hindus

Bjs agridoces da Anja

Dois Rios disse...

Os pensamentos são a nossa perdição. As vezes seda, as vezes ar, as vezes reticências, as vezes nada.
Beijos,

Dori disse...

E sem pudor, lindamente.

Beijos.

Jácome D`Alva disse...

gostei da falta de reticencias...

Baraújo disse...

e nao é bom assim? podermo-nos despir sem reticencias????

beijo