04 dezembro 2008

Diario de uma espera


“ Sou uma mulher madura,
que as vezes brinca de balanço,
Sou uma criança insegura,
que ás vezes anda de salto alto”
M.Medeiros

Esperei-te… não chegaste. E o tempo fez-se verso com contornos de um sol quase anoitecido e uma noite ainda por parir. Despi as ilusões, deixei-as cair aos poucos, como petalas secas e esvoaçantes tombando furiosamente nos rochedos da imaginação. Por entre os dedos senti-te escapar, antes mesmo de me teres sido. Acordada no limbo da tua procura, desenhei-te o corpo com a ponta da língua e beijei-te os cabelos com o sopro uivante do desencanto. A certeza absoluta de que os horizontes do meu corpo entrelaçado no teu é apenas um abismo na imensidão de outras vidas em que me pertenceste.

Num instinto violento e primario, termino a espera. Guardo o final de tarde nas páginas de uma história que não aconteceu, bordadas em linho e doçura. Fecho devagar as portas do atrevimento e injecto com dor no sangue a falta que sinto de ti, nesta memória sem alcançe de cada instante em que te sonhei. Em que pensei que fosse possivel. Em que me despi em fogo. Em que fui meretriz do destino desta louca vontade.
Invento outra história.
Invento outro mundo.
Invento outra vida.

Permaneço aqui, fazendo da espera apenas mais um caminho para que a proxima vida seja a foz onde te encontrarei… novamente.

Escrito num tempo que nao existe...

8 comentários:

Dawa disse...

Tão LINDO!
Palavras doces de fera ferida. Adorei!
Beijo grande e votos de uma doce espera!

Anónimo disse...

Nas novas vidas não existem lugares para recordações. A não ser que a (in)capacidade de sonhar se esgote.

NAELA disse...

Simplesmente lindo! Um esperar intenso nas asas do vento!
Beijo doce

Three Love´s disse...

lindo...

"guardo o final de tarde nas páginas de uma história que não aconteceu, bordadas em linho e doçura"


b.e.i.j.o.s.

Pearl disse...

Xiiiiiiiiiii

lindo demais... sei que estou a ficar repetitiva, mas deixas-me sem palavras... muito bom mesmo!!!

:o)))***

patriciasofia disse...

...num tempo que não existe...

gostei!!

besos guapa
p.

O2 disse...

A D O R E I, a intensidade revela a loucura de uma paixão... e isso é bom, muito bom, a paixão, venha de onde vier, seja em que momento for, foi, é e sempre será o melhor alimento dos grandes poetas!

A D O R E I...

E retiro-me devagar, mui respeitosamente sorrindo, sorrindo-te!

Bjão.

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

E o tempo fez-se verso e o verso fez-se de ti, Avid!
beijos e borboleteios