21 janeiro 2009

Hunger

Tudo parece ironia. Cristal e cobre. Um olhar atrevido, um sorriso desconhecido, um sinal desprevenido. Tu. Eu. Licença para seduzir. Pega-se no sonho e temperamos com ousadia, transformando os dedos em toque e bailado. Sobre a minha pele nua como um arrepio perdido ao vento moldas-te em humidade que marcha desavergonhada pelo corpo inteiro. Nada sobra... a vida se perde na espera do beijo. A boca implora a língua fotografando com antecipação o crucial orgasmo que sempre sobra entre dois loucos.

Te envolvo, pegando-te
E te abraço, apertando-te
E te beijo, mordendo-te
E te lambo, sorvendo-te

Para-se a vida. Engole-se com fúria dos pés a cabeça. Num ímpeto que sufoca e arrebata, prendendo-se entre as coxas a tempestade e fazendo do ritmo o caminho mais perto para o prazer. Num acto louco corrompe-se o espelho e compromete-se os minutos seguintes com suores e gemidos embriagando o recato que a muito se esvaziou nos lençóis por amarrotar.

Te envolvo, pegando-te
E te abraço, apertando-te
E te beijo, mordendo-te
E te lambo, sorvendo-te


Tudo começa nesse momento em que a alma se faz prisioneira do fogo. Num eclipse inesquecível o sol beija a lua e a intensidade da entrega, chega ansiosa formanda ondas coloridas pelo intimo devasso desse momento tão sagrado.

Te envolvo, pegando-te
E te abraço, apertando-te
E te beijo, mordendo-te
E te lambo, sorvendo-te


Despejamo-nos de sentimentos, tornando este momento num impulso natural, num momento singular. Sedução sem limite, sedução sem pudor. Somos aquilo que queremos ser e não o que os outros querem, fazemos tudo o que queremos e não o que os outros repudiam. Nada importa porque:

Te envolvo, pegando-te
E te abraço, apertando-te
E te beijo, mordendo-te
E te lambo, sorvendo-te


No momento em que os dois somos um, envolvidos entre as coxas, em que as linguas se apalpam, onde os dedos se entrelaçam e exploram, onde os suores se namoram, onde as peles se fundem, onde os calores se amenam, e onde os sabores se trocam, eu...

Te envolvo, pegando-te
E te abraço, apertando-te
E te beijo, mordendo-te
E te lambo, sorvendo-te

6 comentários:

Nanda Assis disse...

uau! deve ter sido uma noite e tanta!!

bjosss...

janelasdavida disse...

Tava meio sumido, mas adoro vir aqui! Sempre tenho belas imagens e sensações! rs Bjs

Anónimo disse...

Rsrs... Agora comes tubarões ao pequeno almoço?

L.S. Alves disse...

Continuas a escrever bem. Moça um abraço e um beijo.

Bibi. disse...

Maravilhoso!!!

Adorei seu blog ;) Vou começar a acompanhar.

Bjs!

▒▓█► JOTA ENE ® disse...

__________________________________

Adorei as gangas e as tatoos (tenho 7)

__________________________________