03 junho 2009

Tok Tok

Danço...danço pra ti... o batuque me liberta o sonho...entre nós o céu e a terra. Entre nós o dialecto do prazer que se desprende do sossego e do fogo de uma paixão por nascer...

Tok tok... e bailo nua no banho dos raios de lua.
Tok tok... e do chão se desprende a poeira da vida.
Tok tok... e da saudade a lágrima sorri pecado.

Danço... rodopio invisível e desnuda fazendo amor na madrugada. Amor de loucura. Amor de ternura. Amor de amargura. E sou mulher. E sou rio. E sou batuque que arrepia o mar.

Tok tok... de onde venho não sei mas no fim só o batuque será o dó da pauta do nosso (des)amor...

Tok tok... Continuo??? Quem sabe se deixas-me amar-te um pouco mais? Só até ao fim da minha vida. Prometo...

5 comentários:

Fernando Richter disse...

Interessante seu blog... bjs

L.S. Alves disse...

Diva é melhor amar-te até o fim da tua vida, pois viverás eternamente através das suas palavras.
Beijos moça.

Palma da Mão disse...

Ler-te é simplesmente encantador, essas virgulas e contra virgulas, enaltecem-te mulher!
Beijinhos miga

Kimangola disse...

...o Batuke é uma forma de vida
( tem ritmo e paixão) e óbito.
Os óbitos de amor fazem também parte da mutante eternidade.

um amor só, que não muda, será mutante?

e as mil faces de uma qualquer posição amorosa serão princípio ou fim?

gostei da transparente fogosidade
em palavrinhas, tocando o real, diluindo se no étereo ( sonho) em batukado arritmico.

xaxuaxo

O2 disse...

UUuaaauuuu, fazia tempo que aqui não vinhas, ja acordaste! boa!

beijao