21 novembro 2009

Restos

As noites de final de Novembro em hemisférios distantes acontecem assim. Com chuva por fora. Sem chuva por dentro. A solidão de seres acompanhados como nós, se camufla na liberdade exagerada de magoas enforcadas e palavras que mesmo sem existir se soltam da boca pintadas de cores demasiado garridas inventando começos e recomeços. E num ápice se desacorrenta sorrisos sedutores. Encanta-se...

Os pingos da falta de culpa esgotam-se no pormenor dos copos vazios, do álcool viciante, do ritmo ensandecido do tempo que se esquece de parar e das habituais “one night stand” que em nada facilitam o acordar do dia seguinte mas são perfeitas para se escrever um poema triste. As evidencias ciciantes rasgam a pele e o cheiro da pele molhada misturado ao suor do corpo desconhecido colado ao nosso fazem estalar o vazio que guardamos a sete chaves ali..fora do nosso tudo, ali...além dos medos e segredos que nem ao espelho contamos. Disfarca-se...

Gente como a gente aprende rapidamente a jogar o jogo dos fortes. Caça-se emoções alheias e desfolha-se violentamente o desejo que nos é oferecido e se veste na pele de uma puta pura. Abre-se as coxas e se bebe a vida em cálices de gemidos e se fode o sonho sem medo nenhum de quebra-lo, pois tudo fluí sem sentido necessário. Expõe-se o corpo ao perigo, poetiza-se palavrões, rasga-se a renda frágil da calcinha e entra-se numa combustão que não arde no ser e nem no sentir. Arde na descoberta do que se pode fazer sentir. Goza-se...

E numa vertigem sem pranto o dia seguinte chega comum, ressacado e cinzento, propicio para se escrever uma prosa, um acto de contrição vulgar, chuvoso e germinado na falta de culpa. Roga-se... Perdoe-me senhor porque eu pequei!

4 comentários:

KImdaMagna disse...

...Há doçura e beleza na amargurada travessia, uma nódoa num lençol ainda quente, lembrando, vinte dedos de ternura afagando, na tua ausência amor é também, a tua essência, esse perfume, sereno e puro como animal do mato.


xaxuaxo

Kapikua disse...

Tu fodes-me todo com o que escreves!
Edita um livro que eu compro......

Beijo nas côxas!

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Dois Rios disse...

O resto é o saldo positivo de um desejo desfolhado. As vezes o pecado é essencial.

Beijo,
Inês