30 maio 2008

Estou a dois passos...

Escrevo por não ter nada a fazer no mundo: sobrei e não há lugar para mim na terra dos homens. Escrevo porque sou uma desesperada e estou cansada, não suporto mais a rotina de me ser e se não fosse a sempre novidade que é escrever, eu morreria simbolicamente todos os dias.
____________________
Clarice Lispector em "A Hora da Estrela"
...
Cansada. Cansada, é como me sinto neste instante.
É cedo, bastante cedo.. Escrevo... Aqui sentada não oiço nada. Nada, a não ser o som deste teclado velho engolindo as palavras que se despem sem inocencia de alma. Parecem palavras velhas e mortas. Contam-te tudo que a muito sabes. Ressuscitam únicas e reais. Sinto-as arder nos punhos, entregues a chamas que se acariciam até ao pecado final e humano do meu ventre. Cada letra é um momento indefinido, natural e impotente. Cada palavra devora o curso natural da vida, da espera. Sinto-me cansada de escrever e não me mudar, traçar meu destino em versos e não cumpri-lo. Secar a paixão em esteiras de mil poemas e nunca apagar as lentas pegadas que a vida deixou na areia dos meus sonhos.

Enquanto escrevo o ritmo da vida aumenta, a emoção solta-se no grito e infindáveis delirios brotam do meu ser. Paro... desvio o olhar da escrita, respondo como sonâmbula a algum apelo de uma colega sorridente. Coloco um cd, o primeiro de muito poucos que aqui tenho. Ivete Sangalo é a escolhida. Na retina a volta ao negro pálido da letra 12 do pc. Escrevo...Não espero que as palavras cheguem, vomito letras e letras, numa sopa ela mergulha-me na mistura de quantidades indeterminadas de termor, querer e prazer... isso é escrever.

Em tons escuros me deixo estar assim... cansada. Mergulhando a escrita na possessão de ondas que sussurram laivos de paixão. Transcendo a ilusão. Reduzo-me a insignificancia das minhas vontades. Chego perto de ti. Na mente vagueio pelo teu corpo. Encosto-me a ti. Tiro-te o casaco, a gravata e abro apenas alguns botões da camisa... Beijos e caricias inadiáveis não saciam o desejo. A saia é levantada as pressas. A parede fria serve como um frio apoio para meus seios aprisionados no sutiã lilás e as pernas abertas sem inocência. A calcinha é empurrada para o lado quase de forma violenta. Nem olho para tráz, sinto a música do zipe da tua calça descer. Apenas suspiros abafados são cumplicidades...

Desprendo-me da parede e apoio as mãos na enorme secretária. Inclinas-me o mais que podes. Sinto-te os dedos entrarem possessivos no meu sexo húmedecido. Gemo quase silenciosamente. Metes e tiras os dedos. Enquanto faíscas de desejo se lapidam em nossos corpos sinto que me penetras. Afastas-me mais contra ti. Quase me desequilibro com a força em que me adentras. Sei que os segundos são preciosos. Sabes que tenho urgência. Os movimentos de prazer não se prolongam, a ansiedade liberta as garras e imploro que não te demores. Alucinações me fazem perder a noção do tempo. As palavras saem nuas e cruas. Verdades quase inaudíveis. Apertas-me contra ti. Sei que o momento é agora! Na tua explosão o meu único grito.
O prazer rápido. Necessário.

Mal reposta das pernas bambas me deixo afagar pelo abraço doce. Em ti apenas derramo a respiração controlada. Conduzo silenciosa até ao parque de estacionamento comum. Não mais preciso de silábas novas. O texto incompleto está formado. E apesar de uma lentidão, agora real. Estou pronta para voltar o trabalho e a mim.
Refugiar-me no teclado ainda é uma desculpa para saber que continuo despida do mundo.
Mas não de ti.

5 comentários:

markus disse...

Diva,
palavras redondas e cheias de força e sensualidade, parabéns.Voltarei!
Bom fds****

Agry White disse...

Será que a ameaça dum mundo assexuado, delirante e excludente nos vai privar do perfume acariciador da tua presença? Não o permitiremos
Bjs

Anja Rakas disse...

Interessante...

Parede fria...corcovado quente...mãos atrapalhadas...senti-lo...sentir-te!
Tudo se resume na fuga de ti mesmo...do teu ser social...da tua condição de mulher extremamente sexual...

Interessante...

Bjs.

AcidoCloridrix disse...

Poxxxa chavala,,, cansada nunca,,, bora lá a activar esses neuronios e sair por cima de todas e quaisquer dificuldades da vida,,, tu és especial!!!!
Já agora,,,, gostaria de saber a tua opinião sobre,,,, qual é p ti o “Homem Ideal”???? Tudo em,,, http://sexohumorprazer.blogspot.com/ ,,,, beijocas agradecidas!!! HCL

Paula disse...

Adorei o seu texto de introdução em que destaca a necessitade imperiosa da escrita!!

Adorei o blog!

Parabéns!

Abraço
Voltarei!